Scroll Top

Arte e Cultura

Millôr Fernandes,Escritor e Fundador de ‘O Pasquim’,’Pif – Paf’ Morreu

Arte e Cultura no Brasilfront

Millôr Fernandes, Escritor e Fundador de ‘O Pasquim’,’Pif – Paf’  entre outros… Morreu

Millôr Fernandes um gênio da arte e da cultura brasileira…. Se destacou em tudo o que fez, fazia seu trabalho com segurança e sabedoria, encantor no trabalho e como amigo, todos que puderam conviver com Millôr Fernades, afirmaram que ele encantava a todos tanto na arte como pessoalmente.

Millôr Fernandes – Nascido no bairro do Méier, no Rio de Janeiro, a data  de nascimento há controvérsia: em vez de 27 de maio de 1924, ele teria nascido em 16 de agosto do ano anterior. Morreu em 27/03/2012, em casa, em Ipanema, na Zona Sul do Rio. Segundo Ivan Fernandes, filho do escritor, ele teve falência múltipla dos órgãos. Millôr Fernandes, morreu aos 88 anos, (1923-2012)

Como definir Millôr Fernades:  Desenhista, tradutor, jornalista, roteirista de cinema e dramaturgo, Millôr foi um raro artista que obteve grande sucesso, de crítica e público, em todas as áreas em que se atreveu trabalhar. Ele, que se autodefinia um “escritor sem estilo”, começou no jornalismo em 1938, aos 15 anos, como contínuo e repaginador de “O Cruzeiro”, então uma pequena revista. Ele retornou à publicação em 1943 ao lado de Frederico Chateaubriand e a tornou um sucesso comercial: de 11 mil exemplares iniciais ela chegou a ter 750 mil por edição. Lá, criou a famosa coluna “Pif-Paf”, que também teria desenhos seus. Fonte: G1

Palavras de Millôr …   Fonte: ( Folha De S. Paulo)  29/03/2012

” A gente só morre uma vez. Mas é pra sempre”

” Todo homem nasce original e morre plágio”

Palavras dos amigos…

Jânio de Freitas (Folha De S. Paulo) ” Ele não era humorista, mas um pensador brilhante, ilimitado nos temas e incessante no seu exercício”

Rui Castro ( Folha De S. Paulo)  ” Podemos acessar Millôr Só não podemos explicá-lo

Angeli ( Folha De S. Paulo) ” O humor de Pif Paf ajudou a me formar como cartunista” entre outras…

Confira a Cronologia da vida pessoal e profissional de Millôr Fernandes         Fonte: ( Folha De S. Paulo)  29/03/2012

1923 – Milton  Viola Fernandes nasce no Rio, em 16 de agosto. Seu registro de nascimento foi feito apenas em 27 de maio do ano seguinte. Millôr gostava de por em dúvida essas datas, brincando com o ”mistério”

1938 –  Em 15 de março, começa a trabalhar como contínuo na revista ”O Cruzeiro”

1939 – Publica seus primeiros desenhos em revistas como ”A Cigarra” e ”O Guri”, de HQ

1941 – Descobre que, por um erro do cartório, foi registrado Millôr e assume o nome ”errado”

1943 – Passa a ser jornalista em ”O Cruzeiro”

1945 – Começa na revista a seção ”Pif Paf”, com Péricles Maranhão, criador do personagem Amigo da Onça

1946 – Publica o primeiro livro, ”Eva sem Costela – Um Livro em Defesa do Homem”. Assina com o pseudônimo Adão Júnior

1948 – Passa três meses em Hollywood, como correspondente de ”O Cruzeiro”, e conhece  Walt Disney

1953 – Estréia a peça ”Uma Mulher em Três Atos”

1955 – Ganha concurso de desenhos em Buenos Aires, empatado com o americano Saul Steinberg (1914-99)

1957 – Primeira exposição individual de desenhos no Museu de Arte Moderna (Rio)

1959 – ”Inventa” o frescobol na praia de Ipanema

1960 – Estréia a peça ”Um Elefante no Caos”, uma comédia

1963 Deixa ”O Cruzeiro” após ter publicado ”Esta É a Verdadeira História do Paraíso”, provocando a ira de leitores católicos

1964 – Lançamento do jornal quinzenal ”O Pif-Paf”. Dura oito números, sendo o último apreendido pela censura

1965 – Estréia o espetáculo ”Liberdade, Liberdade”, parceria com Flávio Rangel, logo proibido pela censura

1968 – Começa a escrever na revista ”Veja”. Publica o livro ”Hai-Kais”

1969 – É um dos fundadores do semanário ”O Pasquim”

1972 – Estréia a peça ”Computa, Computador, Computa…”. Passa a dirigir ”O Pasquim”. Lança os livros ”Esta É a Verdadeira História do Paraíso” e ”Trinta Anos de Min Mesmo”

1973 – Lança ”O Livro Vermelho dos Pensamentos”, que teria uma versão revista e ampliada em 2000

1975 – Deixa de escrever em ”O Pasquim”

1976 – Escreve ”É …”, uma de suas peças mais famosas

1979 – Visita o Rio Grande do Sul e posa de ”gaúcho”. Escreve a peça ”Os Órfãos de Jânio”

1982 – Deixa de escrever para a revista ”Veja”, após ter declarado seu voto em Leonel Brizola nas páginas da publicação

1985 – Começa a escrever no ”Jornal do brasil”

1986 – Troca sua máquina de escrever pelo computador

1994 – Publica ”Millôr Definitivo – A Bíblia do Caos” e ”Teatro Completo de Millôr”

2000 – Lança em maio o site ”Millôr Online” no UOL. Em julho, passa a escrever no caderno ”Mais”, da Folha

2001 – Retoma colaboração no ”Jornal do Brasil”. Sua peça inédita ”Kaos” é lida no ciclo ”Leituras de Teatro”, da Folha

2003 – Publica ”100 Fábulas Fabulosas” e é tema de volume da série ”Cadernos de Literatura Brasileira”, do Instituto Moreira Salles

2004 – Volta a colaborar com a revista ”Veja”, na qual publicaria até 2009

2012 – Morre no Rio de Janeiro, aos 88 anos

Millôr Fernandes realmente foi um gênio da arte e da cultura. Considerado um dos maiores frasistas do Brasil, fundador do semanário ”O Pasquim” se consagrou como chargista, tradutor e dramaturgo.  Inteligência, independência e autossuficiência foram qualidades desse grande homem, com Obra singular e popular conquistou os leitores. Fonte; Rui Castro – Colunista da Folha

No palco, foi tradutor profílico r artífice do teatro de resistência  Fonte: De São Paulo

Parabéns a Millôr Fernandes … Deixa uma história de vida pessoal e profissional espetacular… Comente aqui sobre Millôr Fernandes, Brasilfront

 

Comente Via FaceBook

Comentários

1 Estrelinha =(2 Estrelinhas3 Estrelinhas4 Estrelinhas5 Estrelinhas Classifique Nosso Artigo de 1 à 5 Estrelas :)
Loading...

Artigos Relacionados à Millôr Fernandes,Escritor e Fundador de ‘O Pasquim’,’Pif – Paf’ Morreu!

Seja o primeiro a comentar!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo: