Arte e Cultura

José de Alencar – Vida e Obra do Escritor, Romantismo Brasileiro

Arte e Cultura no Brasilfront

José de Alencar – Vida e Obra do Escritor, Romantismo Brasileiro

José de Alencar –  Vida e Obra – José de Alencar nasceu em Mecejana, Ceará, em 1829. Na infância, seus pais mudaram para o Rio de Janeiro, o pai era político, senador, homem de ideias. José de Alencar estudou e se preparou. Apaixonado pela Literatura José de Alencar, levava em 1843 esboços de romances para São Paulo, que ficou até 1850, cursando Direito. Em 1877, morreu.

Foi um grande escritor romancista. Confira suas Obras:  Romances – Cinco Minutos, O Guarani, A Viuvinha, Lucíola, As Minas de Prata, Diva, Iracema, O Gaúcho, A Pata da Gazela, Sonhos d’Ouro, Til, Alfarrábios, A Guerra dos Mascates, Ubirajara, Senhora, O Sertanejo, Encarnação.

Teatro – O Demônio Familiar, Verso e Reverso, As Asas de um Anjo, Mãe, O Jesuíta.

Crítica, Polêmica, Publicismo – Cartas sobre a Confederação dos Tamoios, Ao Imperador, Cartas Políticas de Erasmo e Ao Imperador, Novas Cartas Políticas de Erasmo, Ao Povo, O Juízo de Deus, A Visão de Jó, O Sistema Representativo

Crônicas e Autobiografia – Ao Correr da Pena, Como e Por que sou Romancista.

Características de José de Alencar –  Vamos citar que em sua autobiografia literária Como e Por que sou Romancista, Alencar deixa entrever sua propensão de dar á nossa literatura uma consolidação romancística capaz de ser autenticamente nacional em seus níveis social, geográfico e temático.

Alencar fez uma literatura nacional romancística, fê-lo de maneira cíclica. O poder de abarcar todas as latitudes sociais e geográficas do homem brasileiro, teve-o Alencar não tanto em virtude do conhecimento direto das pessoas e das regiões, mas de uma real intuição dos problemas brasileiros.

Segundo sua autobiografia,  sua vocação  para  escritor começou aos dezessete anos, movida pela leitura de Chateaubriand e Fenimore Cooper.

José de Alencar se destacou no início por suas críticas ao poema A Confederação dos Tamoios, de Gonçalves de Magalhães (1856). Alencar apontava por uma literatura autêntica nacional, fundada no indianismo e na descrição da natureza.

José de Alencar foi o propugnador de um uso brasileiro da língua portuguesa, pelo aproveitamento de vocábulos, expressões e fraseado nacionais. Enriqueceu a nossa língua literária de inúmeros brasileirismos, deu a frase um meneio, uma cadência tropical, e no seu metaforismo e imagística alegorizou a fauna e a flora do País.

 José de Alencar (1829-1877) em caricatura da época. Os romances alencarianos ( indianistas, regionalistas, históricos e urbanos) compõem um painel da nacionalidade, abrangendo: o presente e o passado, o Norte e o Sul, o Litoral e o sertão, a cidade e o campo.

Principais Obras que se destacaram de José de Alencar

1- Romance indianista: O Guarani, Iracema, Ubirajara

2- O romance histórico: As Minas de Prata, A Guerra dos Mascates, O Garatuja, Alfarrábios

3- O romance urbano: Cinco Minutos, A Viuvinha, Lucíola, Diva, A Pata da Gazela, Sonhos d’Ouro, Senhora, Encarnação

4- O romance regionalista: O Gaúcho, O Tronco do Ipê, Til, O sertanejo

Hoje em destaque para os vestibulares estão os romances: Til e Iracema

 Iracema – caracteriza-se por forte impregnação lírica. Fundado antes no lendário que no histórico, é um mundo poético, na ambiência, no enredo e na linguagem. Romances de caráter lírico, poemático, que aproveitam o mito e o símbolo como elemento estético. Obras de arte. Iracema, ”lenda do Ceará”, metaforiza a formação de uma nova raça, morena, mestiça, tropical, uma utopia romântica e nacionalista, revestida de intenso lirismo e alta poesia.

Til – Através da história o autor José de Alecar dá um painel das principais regiões culturais do País (Til) o planalto paulista.  É o tema que possibilita dar largas á fantasia, ao seu estilo épico e ao desejo de lançar os fundamentos de uma literatura nacional. relata a história de amor impossível entre Miguel e Berta.

No Brasil, o romance romântico ( em Macedo, Alencar, Bernardo Guimarães, Franklin, Taunay) elaborou a realidade, conforme o ponto de vista que norteou todo o nosso Romantismo, ou seja, o nacionalismo literário.

Fonte:  Livro 3 – Português – Literatura Brasileira – Coleção Objetivo – Sistema de Métodos de Aprendizagem

 Comente o que você achou do resumo da Obra de José de Alencar

Comente Via FaceBook

Comentários

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.