Natureza e Ecologia

Conservação Particular, Proteção Florestas Brasileiras, Mata Atlântica

Natureza e Ecologia no Brasilfront

Conservação Particular, Proteção das Florestas Brasileiras, Mata Atlântica

Saiba Como a proteção de florestas em áreas privadas garante a sobrevivência de algumas espécies mais ameaçadas da Mata Atlântica, conservação particular.

* Aline Ribeiro – Época

A Mata Atlântica é um dos ambientes mais ricos do planeta. Abriga quase 16 mil espécies de plantas e 45% delas só existem ali. Tem 261 tipos de mamíferos e mais de 1.ooo espécies de aves.

É considerado um dos 35 hotspots de biodiversidade do mundo, como são chamadas as regiões eleitas como prioridade para a preservação. infelizmente, a notícia triste é que somente 7% da floresta original está de pé.  Você sabia que 80% desse total de remanescentes está nas mãos de proprietários privados?!

São as famosas RPPNs – reservas particulares do patrimônio natural. A saída para a preservação é a conscientização dos donos das terras para conservação.

As ONGs ambientalistas SOS Mata Atlântica, Conservação Internacional e The Nature Conservancy comprovou-a, com estatísticas o resultado pode ser acompanhado, veja como está hoje a preservação das espécies: A pesquisa analisou 127 áreas particulares de florestas em 88 municípios de todos os Estados da Mata Atlântica – um total de 58.000 hectares

1- Espécies de importãncia econômica: São as de interesse comercial. O estudo identificou mais de 40 espécies madeireiras e 25 com potencial medicinal

Araucária – angustifolia (Pinheiro-brasileiro) Árvore símbolo do Estado do Paraná, é a única espécie do gênero araucária encontrada no Brasil. Também presente em RS, SC, SP, RJ, MG, Argentina e Paraguai

2- Espécies endêmicas: São as que existem em locais restritos. A pesquisa registrou 364 delas nas RPPNs da amostra

Lymania -spiculata (nome desconhecido) Esse tipo de bromélia só foi encontrado em uma reserva, a RPPN Serra do Teimoso, na Bahia, uma zona de transição entre as florestas litorâneas úmidas e matas secas

3- Espécies raras: Registradas uma ou poucas vezes e encontradas novamente nas áreas de proteção analisadas

Chilicola – megalostigma (nome desconhecido) Esse inseto havia sido registrado uma única vez em 1908 no Ceará. Foi reencontrado na RPPN Frei Caneca, em Pernambuco

Para termos uma ideia,  as reservas particulares resguardam um número significativo de espécies brasileiras que correm  risco de desaparecer. Das 127 RPPNs existentes no Brasil de um total de 930 existentes no País: 12,9% das espécies de plantas ameaçadas no Brasil são protegidas nas RPPNs e 14,3% das espécies de animais ameaçados são protegidas nas RPPNs

O número de espécies ameaçadas no Brasil abrange a Mata Atlântica e outros biomas. Fontes; fundação Biodiversitas e Ministério do Meio Ambiente.

O mapeamento das espécies é um passo importante e crucial para a sobrevivência da fauna e flora brasileiras.

Comente aqui no Brasilfront  sua opinião sobre as RPPNs

Comente Via FaceBook

Comentários

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.